Da solidão a solitude

O medo da solidão e a necessidade de justificar nossas vidas vazias são os principais demônios que atacam nossa consciência. Para mascarar a mediocridade de nossas vidas e se defender dos tais demônios, a consciência procura criar e se alimentar de entretenimento, por esse motivo o amor não existe e se existe não passa de entretenimento barato.

Somos seres complexos psicologicamente e em constante procura de algo que amenize ou aniquile qualquer resquício de misantropia. O amor assim como deus é só uma ferramenta criada e comercializada na boutique da consciência, com o nobre objetivo de nos apresentar a falsa felicidade, diminuindo assim o ódio que sentimos por nós mesmos.

Para os que já desistiram de entender o “amor” ou simplesmente para os mais ousados, existe um caminho para encontrar a verdadeira felicidade. Nós tememos a solidão assim como tudo o que não conhecemos plenamente, porém aprender a conviver com ela sem perder completamente a sanidade é o ápice de felicidade que nós, meros mortais podemos ter. O caminho até o controle total da solidão é difícil, triste e pode transformar em insano o mais sensato dos homens, entretanto controlar a solidão pode nos dar uma autossuficiência tão grande a ponto de nos transformar em nossos próprios deuses… Solitários, arrogantes mas felizes.

melancholy-hill-colours

2 Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *