Estamos vivendo ou apenas existindo?

existindo

Desde a revolução industrial e a criação da rotina, o ser humano adotou um estilo de vida muito repetitivo, exaustivo e estressante. Esse modo de vida é incentivado e cobrado pela maior parte da sociedade (principalmente se forem seus pais), como se fosse algo necessário para buscar a “felicidade”(traduza como estabilidade financeira) tanto almejada por nós e mais ainda pelos nossos genitores.

Assim, nossa vida se torna um ciclo vicioso, pois, mesmo em nossa infância, estamos vivendo um dia após o outro sem se dar conta que a nossa vida está passando e nem estamos vivendo ela, apenas seguindo nossa rotina sendo distraídos por pequenos prazeres (filmes, festas, etc.) e não paramos para pensar sobre a nossa realidade, porque, se o fizermos, veremos que tem algo errado: estudamos boa parte da nossa infância e adolescência para conseguir um emprego “bom”(traduza novamente como emprego com alto salário), trabalhamos até não conseguirmos mais, nos aposentamos e, após isso, seremos considerados um fardo para os mais jovens, passando somente a esperar o fim do nosso ciclo, que reiniciará com nossos filhos e depois nossos netos e assim por diante.

As pessoas estão tao inseridas nas engrenagens desse sistema que não se preocupam com questões mais importantes que mudariam a humanidade, não se dão conta que estão em uma torrão de rocha e metal em um vasto cosmos e não percebem como nosso mundo é pequeno demais para ser difícil de ser mudado.

Então, muitas vezes eu me pergunto: “O que estou fazendo com minha vida? Será que eu estou vivendo do jeito que eu gostaria ou do que me foi imposto?” e eu não sei a resposta, mas estou correndo atrás dela, tentando ao máximo me desprender da opinião alheia e tentando fazer com que eu fique orgulhoso de mim mesmo e não querer que alguma outra pessoa o faça.

 

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *