Movimento

Flor,
Floresço ao Sol,
E as borboletas vem a me beijar,
Nesse bailar de sensações

Com certa leveza,
Pousam sobre mim
E, de mim levam algo…
Essencialmente, nutritivo.
Dessa maneira,
Sou com as pessoas.
E no divã pediram-me:
“O que as pessoas levam de você?”
“O que você leva das pessoas?”
Assim é o relacionar-se

O tempo que vives ao meu lado é fonte de energia,
Porque só uma flor que transborda tem a oferecer
Tenho luz,
Paz, amor e gratidão.

Deixo que voe,
E mesmo assim sinta o néctar que escorre de minhas curvas.
Na natureza,
A borboleta livre sempre volta
E é feliz por si

Isto tens de mim,
Não por ser altruísta,
Mas por ter sido egoísta e, ter aprendido a se doar,
Já que transbordo coloco-me a partilhar
E todo o bem tens de mim

O que levo de você?
Imersa em um pensar…
Talvez seja o seu simples pousar,
Em tardes ensolaradas de domingo
E seu transbordar todos os dias

Metade de mim é o que agradeço
A outra é o que sinto.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *